AUR, 2019

nossas apostas e afirmações

"Acreditar em artistas talentosos segue sendo um dos nossos principais propósitos"

Desde o início dos nossos trabalhos em 2016, uma das nossas maiores missões foi ajudar e nos aliar com artistas talentos que estavam ao nosso redor. Desde então novos ilustradores criaram capas que impulsionaram os nossos sets, DJs se comunicaram com o seu público através dos nossos podcasts e programas e grandes músicos se apresentaram em nossos eventos. Tudo isso formando um grande universo de comunicação e cultura chamado AUR,.

"Pague o preço"

Nossa vida como coletivo e empresa de comunicação é feita de apostas. Qualquer resultado que gera crescimento, é feito de apostas. Apostamos em novas formas de comunicação, novas formas em fazer o nosso propósito ser real e em novas formas de mudança artística efetiva. Uma nova cena com novos e talentosos artistas que realmente queiram viver disso. E o mais importante: Pagar o preço por esse sonho.

Na vida artística, é preciso ter uma visão muito critica e verdadeira entre resultado e desempenho. Por exemplo, mesmo em atividades mais exatas como o esporte a ideia de que um atleta desempenhou uma boa performance em um determinado jogo, não garante a certeza de vitória no final do campeonato. Dentro de profissões artísticas, onde existe uma subjetividade – não tão real – por trás do ideal de sucesso, a mesma dedicação ao treino e a prática, deve ser posta a prova por cada artista que deseja viver disso. E, como nos esportes, a certeza de vitória no final do campeonato não é certa. Mas as chances de vitória aumentam a cada dificuldade ultrapassada. No final das contas, vai ganhar quem errar menos e acreditar mais.

Dentro desse grande universo, a rua continua a nos apresentar grandes artistas independentes que fazem os nossos olhos brilharem com os seus talentos e a sua vontade de fazer o seu sonho virar. Os artistas que estampam essa capa, trazem todas as qualidades que acreditamos ser essenciais para o sucesso longevo de quem vive da arte. Talento, profissionalismo, correria e entusiasmo nos momentos bons e ruins.

"Acredite neles como nós acreditamos"

Dentro da cena dos DJs independentes da cena underground carioca, Julio Rodrigues é um bom exemplo de correria e dedicação. Profissional desde 2012, Julio é um dos DJs mais versáteis da cidade, tendo passado por respeitadas festas ao longo de sua carreira. Puff Puff Bass, The Groov e BASE  foram algumas delas. Além disso, é inquieto e produz seus próprios bailes que vem movimentando a sua própria cena.

Sua versatilidade lhe abre inúmeras portas em grandes festas da cidade. Mas a sua vontade  em 2019 hoje é enveredar para outras vertentes musicais e expandir suas fronteiras na profissão DJ, através do seu curso de formação de novos profissionais na área. A urban work the responsa.  

“Espero evolução máxima para 2019, poder propagar pros meus alunos tudo o que eu aprendi na minha trajetória musical através da urban é um verdadeiro sonho. Prevejo uma grande empresa, se tornando referencia como escola de DJs.

Indo na mesma direção da defesa dos seus objetivos para 2019, o DJ e designer Patrick Schineider – mais conhecido como Sem Vulgo – coloca a sua luta artística em uma outra e desafiadora esfera. Sua defesa incondicional ao potencial artístico e empreendedor da Baixada Fluminense o motiva encontrar caminhos onde ele se posicione artisticamente e ao mesmo tempo defenda com unhas e dentes o seu território.

“A baixada está em constante crescimento em inúmeras vertentes culturais e artísticas. Estamos repletos de vivência de rua que, para se produzir um conteúdo realmente urbano, é primordial. Estamos mais maduros, temos produtores, compositores, MCs e músicos de ponta que caminham junto com uma galera que tá vindo com uma gana de aprendizado e com espírito de realização. Enxergo o crescimento da baixada com um olhar esperançoso, tendo a certeza de que vamos surpreender muita gente.”

Além de ser DJ, Sem Vulgo se posiciona como um atuante produtor cultural. É residente de um dos movimentos com mais identidade da cidade, o JAMAICAXIAS, produz seus próprios eventos no seu território e acredita que esse é um futuro possível.

“Não produzo simplesmente eventos, produzo formas de salvar e ocupar a vida de jovens e adolescentes. Tenho inúmeros projetos para pronta execução, mas infelizmente o poder público não prioriza cultura e educação. Mesmo com todas as dificuldades, a luta nunca vai parar.”

Apesar de todo o caos político e social que vivemos nesse ano, 2018 foi um grande marco para uma das DJs mais atuantes dos últimos tempos. Dona de talentosos sets que passeiam por vertentes como House, Vogue, Hip Hop e Afro House , Glau Tavares foi a aposta de grandes e respeitadas festas da cidade, afirmou o seu nome como uma verdadeira artista e se consolidou como uma das melhores DJs da nossa cena atual.

“Ser uma das DJs mais atuantes nesse ano foi algo inesperado. Mesmo tocando há mais de 3 anos, comecei esse ano sem expectativas muito altas, pois 2017 havia sido um ano frustrante por falta de estrutura e acesso em alguns lugares. Tudo isso foram fatores que tive que superar pra realizar o meu trabalho da melhor forma. Tive mais liberdade em criar, misturar e fazer coisas novas e diferentes do “open format” tradicional. Isso foi abrindo mais portas pra que outras pessoas prestassem atenção no meu trabalho. Nesse final de ano eu só tenho a a agradecer e seguir com mais vontade de crescer.”

2019 para ela significa: Afirmação. Como pessoa, artista, profissional. E o mais importante, sem perder a saúde mental.

“Eu espero que seja um ano para firmar o que foi construído em 2018. O momento político complica mas são nesses momentos de crise que devemos colocar a nossa criatividade pra jogo e arriscar novas formas de fazer cultura. 2019 vai exigir isso de todos que querem estar inseridos na cena. Mesmo estudando psicologia, percebo que a profissão DJ envolve um equilíbrio mental muito grande pra tudo ao redor ficar ok. Geramos entretenimento e nem sempre estamos 100% bem para aquilo. Mas procuro ser uma pessoa o mais pé no chão possível, saber quem eu realmente sou é o que me mantém de pé.”

Quem também tem a personalidade muito forte, e passa por mudanças determinantes em sua vida pessoal e profissional é a Evehive. O caminho que Glau trilhou em 2018 foi aberto por Eve em 2017 e consolidado por ela nesse ano. Gigs históricas nas maiores labels underground do país, tocou inúmeras vezes em Brasília, Curitiba e Juiz de Fora, fez parcerias, lançou sets por respeitados selos europeus de música eletrônica, tocou em festas de grandes marcas e – de fato – consolidou o seu nome como referência no Rio de Janeiro.

A afirmação de Eve no mercado carioca era notória e tinha chegado num ponto em que era necessário uma tomada de decisão firme com relação a sua carreira. Sua vontade de mudança e percepção de que seria o momento para invadir um outro - e extremamente competitivo – mercado, foram essenciais para um dos movimentos mais arriscados e corajosos que ela já tomou. A mudança para São Paulo.

“Aqui vou conseguir me inserir de forma mais relevante na carreira de produtora musical, lançando as faixas que estou trabalhando, perto de artistas e produtores que gosto e acredito. Vou me aproximar mais da dança, estar perto dos produtores dos maiores festivais de música eletrônica e atingir o público que sempre quis. “

"Música Orgânica"

Ao longo dos últimos dois anos de trabalho, nós nos consolidamos como um coletivo de DJs e produtores que geriam uma plataforma de comunicação que tinha um olhar próprio para uma comunicação que iria nos libertar e mudar a nossa história. Deter esse poder de escrever a nossa própria história era o que mais nos motivava a continuar acreditando nesse tipo de trabalho. Nós cumprimos bem essa função de coletivo de DJs através das gigs que participamos, das portas que abrimos e da nossa vontade em sempre agregar e somar forças com outras vertentes musicais, sem nunca nos fecharmos em uma caixa onde só os DJs seriam os protagonistas das experiências sonoras que proporcionamos. Desde o nosso primeiro evento na rua, sempre defendemos a presença de música orgânica dentro do nosso espaço, onde os DJs e os músicos trabalhariam de forma igual, respeitando os seus espaços e - principalmente - com extrema liberdade de expressão artística.

Joy Máximo vive uma vida bem solta, correndo sempre atrás das coisas que acredita. Toda sua vivencia de rua, resulta na complexidade e maestria das suas letras melódicas e cheias de entendimento sobre amores, dores, preocupações e mais amores.

Joy lançou o seu primeiro single na estréia da primeira temporada do nosso programa AUR, Futuro que recebe novos artistas com um único intuito: Dar palco a novas músicas e novas expressões. Nada de cover, nem regras sobre o que fazer. É chegar lá e simplesmente performar sua música e sua vontade.

O single "Aquário" reativou um namoro que Joy havia iniciado com o respeitado selo musical DU/TO antes da primeira leva de artistas que a label lançou em parceria com a Universal. Não rolou naquela época, mas a sua fome de realizar e executar todas as letras e melodias que ele havia criado nos últimos tempos era tão grande, que aquele namoro que havia esfriado voltou a tona e no próximo dia 4 de janeiro, ele lança o seu segundo single "Boa Noite" em parceria com o selo.

"Sinto que "Aquário" foi uma experiência que me atingiu de uma forma diferente de "Boa Noite", pois ela caminha de uma forma sentimentalmente distinta. "Boa Noite" fala de liberdade, de ser livre e viver relações livres. Mas isso tem um preço doce e árduo ao mesmo tempo. Fala da necessidade de querer o mundo e precisar se encontrar, mesmo que sozinho."

O nosso texto de abertura relacionando resultado e desempenho é uma ótima forma para apresentar o Douglas Bastos. Ele é uma das nossas grandes referências em dedicação e aproveitamento da caminhada até o seu devido sucesso. Douglas se dedica diariamente (média de 4 a 6 horas por dia de estudo) ao seu crescimento pessoal e profissional. Estuda violão, medita, toca em bares, cria suas próprias canções, estuda mais violão e faz tudo isso com um grande sorriso no rosto, entusiasmado com tudo o que fatalmente vai acontecer na sua vida.

"Me vejo sendo reconhecido como um músico, compositor e cantor de alto nível dentro do Brasil. Tendo audiência que sai de casa e vai me ver nos shows e que ouve a minha música na internet. Acredito que tocar as pessoas de forma verdadeira com a minha música, será a minha maior realização como músico."

Douglas já tem dois álbuns na pista, o ultimo uma verdadeira obra prima. "Orgânico" mostra um Douglas muito livre e profissional ao compor e cantar. Todo o disco foi idealizado e produzido por ele que traz inúmeras vertentes de MPB e Jazz entre tracks totalmente instrumentais, letras mais pops e outras totalmente mais rebuscadas e densas, como "Inevitáveis" que ele apresentou de forma também orgânica no programa AUR, Futuro.

Assim como Douglas, todos os outros artistas merecem atenção. A sua, dos seus amigos, de todo mundo que está ao seu redor e ama música e novas e formas criativas de expressão. O preço que se paga para se chegar ao seu destino é a correria e o sacrifício para a realização dos seus sonhos. Tudo que envolve esse coletivo se baseia no acreditar em que podemos ser tudo o que quisermos ser. É a partir daí que mudamos a nossa e a história de todos que se inspiram e vão se espelhar em nós.